Rui Fernandes

Natural de Lisboa, iniciou os seus estudos musicais na Fundação Musical dos Amigos das Crianças, onde estudou com a Professora Leonor Prado. Posteriormente, ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, nas classes dos professores António Anjos (Violino) e Olga Prats (Música de Câmara), tendo concluído o Bacharelato em 1994.

Foi premiado nos concursos de violino da Juventude Musical Portuguesa e no Prémio Jovens Músicos da RDP. Obteve ainda o Prémio da Audiência «Major Blythe Award»no Aberdeen International Youth Festival.

Em 1996, enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e da Northwestern University, obteve o grau de Mestre na Northwestern University (Chicago) e, em 1997, o Performance Certificate, integrando a classe do Professor Gerardo Ribeiro. Foi Assistente deste Professor naNorthwestern University de 1995 a 1997.

Durante a sua estadia nos Estados Unidos, estudou Pedagogia, com especial enfoque na metodologia Suzuki, com a Professora Betty Haag, tendo obtido o respectivo Certificado Internacional emitido pela Suzuki Association of the Americas e pelaAmerican String Teachers Association. De 1995 a 1997, a convite desta pedagoga, integrou o corpo docente do Talent Music Institute of Des Plaines.

Apresentou-se com inúmeras orquestras de jovens e em diversos festivais de música na África do Sul, Alemanha, Angola, Áustria, Bélgica, China, Egipto, Escócia, Espanha, EUA, França, Grécia, Israel, Itália, Luxemburgo, Moçambique, Palestina, Suécia, Suiça, e Turquia; onde teve a oportunidade de trabalhar com Maestros como Christoph Eschenbach, Daniel Barenboim, Franz Brüggen, Kent Nagano, Leonard Slatkin, Pierre Boulez, Pinchas Zukerman, Rudolph Barshai, Shlomo Mintz, Sir Georg Solti, Zubin Mehta, entre outros.

Colabora regularmente com a Orquestra Gulbenkian, com a qual realizou em 2005 uma Tournée na Alemanha e Áustria, tendo-se apresentado ainda com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Nova Filarmonia Portuguesa, a Orquestra Sinfónica do Teatro Nacional de São Carlos, a Elgin Symphony Orchestra e a New World Symphony Orchestra. Na temporada 1998/99 integrou, como membro efectivo, a Orquestra Sinfónica Portuguesa.

É membro fundador do Quarteto Lusíada com o qual gravou dois discos para as editoras EMI e Strauss, realizando inúmeros concertos por todo o país.

Em 1998, juntamente com Filipa Poêjo, lança o projecto de uma orquestra de jovens violinistas – Os Violinhos – que alcançam um destaque inédito no panorama musical português. Desde a sua formação é o responsável pela Direcção Artística desteensemble.

Realiza regularmente, por todo o país, Masterclasses de Violino e, desde 2008, orienta Cursos de Formação de Professores de instrumentos de corda a convite da Academia de Música de Lisboa e pela ESART.
Desde 2004, em representação da Fédération Internationale des Musiciens (FIM), integra o projecto europeu Polifonia, dedicado ao estudo das questões emergentes do Processo de Bolonha, na área da música, e na identificação das novas características do meio profissional e suas implicações na formação académica dos alunos.

É Professor de Violino na Academia de Música de Lisboa desde a sua fundação, tendo os seus alunos vencido os principais Concursos de Violino, nacionais e internacionais, realizados em Portugal.